186 obras de Marc Chagall chegam ao CCBB no Rio de Janeiro

“Marc Chagall: sonho de amor” percorrerá os CCBBs do Rio, Brasília, Belo Horizonte e São Paulo, de março de 2022 a abril de 2023

Por Yeska Coelho Atualizado em 20 mar 2022, 18h38 - Publicado em 20 mar 2022, 10h00
Exposição Chagall no CCBB
Divulgação/CASACOR

Uma exposição emocionante chega para marcar a programação do Centro Cultural Banco do Brasil, a começar pelo museu do Rio de Janeiro – Marc Chagall: sonho de amor. Serão 186 obras do artista referência do século XX, que se destacou pelo uso de cores e da criação de um universo lírico, poético e fantástico em suas pinturas e escritos, e por sua trajetória única, pautada pelo amor que devotava à vida e às artes.

Exposição Chagall no CCBB
Divulgação/CASACOR

A mostra já está disponível para visitação no Rio e ficará até 06 de junho, quando seguirá para Brasília, Belo Horizonte e São Paulo.

A seguir, confira o calendário completo:

Abertura nacional: Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro Quando: de 16/3 a 6/6/2022

Demais cidades:

  • CCBB DF: 28/6 a 18/9/2022
  • CCBB BH: 12/10 a 9/1/2023
  • CCBB SP: 1/2 a 10/4/2023
Exposição Chagall no CCBB
Divulgação/CASACOR

Os românticos vão apreciar muito a mostra, que tem o amor como tema central. “Só o amor me interessa, e eu estou apenas em contato com coisas que giram em torno do amor” – é esta frase célebre de Chagall que de certa forma orienta a exposição.

A exposição no Brasil

 

Continua após a publicidade

Exposição Chagall no CCBB
Divulgação/CASACOR

Logo na entrada da exposição, o “Sonho de amor” é anunciado pela instalação contemporânea Air Fountain, gentilmente cedida pelo artista Daniel Wurtzel. Nas salas de exposição, o percurso contínuo apresenta uma seleção de obras produzidas por Chagall ao longo da carreira, de onde emergem os temas: origens e tradições russas; o amor e o exílio na representação do mundo sagrado; o lirismo e a poesia, reencontrados em seu retorno à França, e o amor transcendente, uma ode ao sentimento de estar apaixonado, presente na figura dos enamorados que flutuam nas telas ou estão imersos entre ramos de flores.

Exposição Chagall no CCBB
Divulgação/CASACOR

Segundo a curadora da exposição, Lola Durán Úcar, couberam na seleção obras “que mostram diferentes técnicas e suportes que Chagall utilizou com grande virtuosismo: óleos, têmperas e guaches, litografias e água-fortes branco e preto e coloridas à mão”.

 A exposição que chega ao Brasil apresenta quatro seções, que tratam de diferentes temas da obra do pintor russo. A primeira parte intitula-se Chagall. Origens e tradições russas. Nessa seção estão presentes duas pinturas de importância significativa, o Vendedor de gado (Le marchand des bestiaux), de 1922, e Aldeia Russa (Russian village), de 1929.

Exposição Chagall no CCBB
Divulgação/CASACOR

Também faz parte dessa primeira seção da mostra um dos mais importantes projetos de Chagall, no qual sua ideia de tradição está intimamente ligada à vida campesina da infância e adolescência no vilarejo de Vitebsk, na companhia de animais e cercado pela natureza.

Destacamos a série gráfica completa das Fábulas inspirada na obra de La Fontaine, escritor francês do século 17, na qual dialoga com a cultura popular e mergulha no comportamento humano, metaforizado nos textos do escritor francês.

Continua após a publicidade

Publicidade