Casas inteligentes: o que são, como funcionam e automações possíveis

Muito populares nos Estados Unidos, as casas inteligentes começam a ganhar notoriedade no Brasil para trazer comodidade e segurança aos lares

Por Yeska Coelho 11 mar 2021, 10h01

Diferente do que se pensava anos atrás, sobre uma realidade futurista, hoje é possível automatizar várias tarefas mecânicas em uma casa, com tecnologias precisas e custo acessível. As casas inteligentes são a prova disso.

comando de voz casas inteligentes
Divulgação/CASACOR

O princípio básico de uma casa inteligente é utilizar a tecnologia como aliada para oferecer comodidade aos usuários. São atividades simples do dia a dia, como acender ou apagar a luz, colocar uma música ou ouvir sobre os principais acontecimentos do dia. Tudo isso por meio do acionamento de voz.

Esse tipo de moradia inteligente já é bastante popular nos Estados Unidos, mas vem ganhando destaque no Brasil com a chegada de assistentes de voz como Alexa, Siri e Google Assistent.

Apesar de atividades limitadas, a expectativa é que com o tempo as casas inteligentes contem com recursos que vão além da conectividade. Imagine uma cozinha que por si só identifique a hora que deve ser higienizada? Essa é uma realidade esperada em um futuro não tão distante.

Como funcionam as casas inteligentes?

conectividade integrada ao lar caracterizam as casas inteligentes
Divulgação/CASACOR

Em 2018, estima-se que pelo menos 45 milhões de dispositivos de automação foram instalados em residências nos Estados Unidos. Com isso, os moradores podiam contar com o acionamento remoto de diversos aparelhos eletrônicos, ajudando com a iluminação e também proporcionando melhores condições de temperatura.

Continua após a publicidade

As casas inteligentes funcionam com o uso de IoT (internet das coisas). É por meio dessa tecnologia, capaz de conectar tudo a um servidor comum, que as automações acontecem.

Para fazer a conectividade em casa, o critério adotado nos Estados Unidos, é de que para ser considerada uma casa inteligente é necessário pelo menos dois itens conectados a internet, que podem variar de acordo com as expectativas dos moradores e as facilidades que desejam.

Exemplos práticos de IoT aplicada à residências são: Smart TV, geladeiras inteligentes, iluminação automática, climatizadores, alarmes de segurança, etc.

Segurança e comodidade

tablet automatizando cozinha casas inteligentes
Divulgação/CASACOR

Quando pensamos nos benefícios das casas inteligentes, falar apenas do conforto e comodidade que elas proporcionam é apenas a ponta do icebarg.

Elas contribuem diretamente para a segurança do lar de diferentes maneiras. O uso de alarmes e câmeras são exemplos disso. Quando percebem a presença de estranhos rondando a casa, avisam o usuário – em caso de invasão, alguns são capazes de já alertar o seguro ou a polícia.

A segurança se reflete também dentro da casa inteligente, detectores de fumaça que identificam incêndios, aparelhos que identificam quando o gás está vazando, entre muitas outras funcionalidades.

Continua após a publicidade
Publicidade