Casarão colonial é transformado em uma aconchegante casa de campo

À frente do projeto, os arquitetos Alberto Lahós e Marco do Carmo decidiram não descaracterizar a residência, apenas atualizando os elementos originais

Por Giovanna Jarandilha 6 ago 2021, 16h05
casa de campo fazenda colonial alberto lahos marco do carmo
Reprodução/CASACOR

No início do século 20 (tempo estimado de sua construção), essa propriedade em Joanópolis, a 120 km da capital paulista, servia como uma fazenda de café. O refúgio próximo à Serra da Mantiqueira possui uma área total de 170 m² e atravessou os séculos com muita dificuldade.

“A casa estava bem machucada pelo tempo”, conta Alberto Lahós, arquiteto que ao lado de Marco do Carmo comandou a reforma da residência. “Porém fomos seduzidos pelo terreno com pomar, rio, cachoeira e muito verde“, completa Marco.

casa de campo fazenda colonial alberto lahos marco do carmo
Reprodução/CASACOR

Preocupados em não descaracterizar a arquitetura de época, Marco e Alberto se puseram a pesquisar o estilo das casas coloniais brasileiras e das construções locais antes de iniciar a reforma – que levou seis anos para ser concluída.

Assim, os arcos sob a varanda, um elemento muito comum nas fazendas brasileiras, foram mantidos. Na reforma, nada foi perdido: as telhas francesas originais, por exemplo, passaram a cobrir a garagem; enquanto o casarão ganhou telhas do mesmo tipo, porém novas.

casa de campo fazenda colonial alberto lahos marco do carmo
Reprodução/CASACOR

O volume da fachada principal foi mantido, apenas atualizado com pequenos detalhes característicos das casas urbanas. No interior, porém, quase tudo foi alterado.

Continua após a publicidade

Isso porque foi preciso melhorar a distribuição dos ambientes. Dessa forma, a construção principal passou a concentrar apenas as áreas sociais: salas de estar, de jantar, cozinha e varanda. Esta última, inclusive, passou a ocupar o lugar da antiga cozinha; já o porão deu lugar ao iluminado ateliê de Alberto.

casa de campo fazenda colonial alberto lahos marco do carmo
Reprodução/CASACOR

A segunda construção – uma casinha térrea que funcionava como tulha, local de armazenamento de grãos – foi completamente remodelada. Assim, ela ganhou portas balcão vermelhas e teve o piso de tijolos totalmente restaurado.

Já os quartos foram transportados para cá, priorizando a vista para o terreiro. Nas três confortáveis suítes, as tesouras no teto reproduzem as que existiam no projeto original.

casa de campo fazenda colonial alberto lahos marco do carmo
Reprodução/CASACOR

No estar e no antigo porão, os tons suaves percorreram as paredes e os tecidos. Repare que na sala de estar, de jantar e nos quartos, a paginação do piso alterna entre uma madeira escura tatajuba com outra mais clara, a cumaru. Por fim, a piscina foi posicionada para o antigo pátio de secagem de café e recebeu a mesma forragem de tijolos – material preferido da dupla de arquitetos.

Veja mais fotos da casa de campo em Joanópolis na galeria abaixo:

Fonte: Arquitetura e Construção

Continua após a publicidade
Publicidade