CASACOR SP reutiliza 70 mil litros de água usados na Cisterna Deca

Pensando no uso racional e eficiente da água, o projeto de Tenório visava contemplação e valorização da água

Por Fernanda Drumond - Atualizado em 17 fev 2020, 16h43 - Publicado em 14 jan 2019, 16h32
Divulgação/CASACOR

Com a missão de ser referência em arquitetura, design de interiores e paisagismo, e oferecer a melhor experiência para o usuário e o menor impacto no planeta, a CASACOR assumiu um compromisso com a sustentabilidade e busca, em todas as suas edições aumentar a eficiência dos processos e reduzir custos e impactos negativos da operação. Todas as ações sustentáveis da mostra, você acompanha no Relatório de Sustentabilidade 2018.

Com o conceito A Casa Viva, a 32ª edição da CASACOR São Paulo foi realizada na área de tratamento de água do Hipódromo, no antigo biotério, na Tribuna Especial 2, e nas antigas Pagadorias do Jockey Club de São Paulo. Pensando no uso racional e eficiente da água, Tenório projetou para a mostra a Cisterna Deca, um espaço de contemplação e valorização do recurso.

Divulgação/CASACOR

Com um volume de 70 mil litros, o projeto ocupou o corredor que liga o prédio da tribuna a uma das entradas. Com 560 m² de área interna e 280 m² de espaço externo, o ambiente tinha seu próprio percurso, no qual o visitante pode ver produtos da marca aplicados na decoração de forma inusitada.

A água que escorria pelo granito bruto no lounge de entrada chegava até o espelho d’água. É uma alusão a chuva e ao ciclo hídrico. Neste ambiente, cadeiras, sofás e algumas luminárias desenhadas pelo próprio Tenório compunham o mobiliário para observação da água corrente.

Divulgação/CASACOR

Mas para onde foi o volume d’água? A água usada no ambiente foi bombeada para reutilização do Jockey Club. Dessa forma, 70 mil litros de água deixaram de ser dispensados, provando que é possível utilizar o recurso como elemento da decoração e ser sustentável.

Continua após a publicidade
Publicidade