Artboard Created with Sketch.

Exposição “Inovanças” é aberta ao público no Museu do Amanhã

O Museu do Amanhã abre suas portas para a mostra que apresenta invenções criativas e imprescindíveis de brasileiros anônimos e renomados

Os personagens e seus inventos estarão no interior de guarda-chuvas que ocuparão o teto deste corredor, ligando as áreas “Errâncias” e “Imprevisto”. (Raquel Cunha/CASACOR)

“Jeitinho brasileiro” em cartaz

A inventividade brasileira é o assunto da vez no Museu do Amanhã, localizado na zona portuária do Rio. A mostra “Inovanças – Criações à Brasileira” estreia hoje (25) e faz uma ode a criatividade singular do povo tupiniquim. Com cerca de 600 m² e 39 invenções, essa é a primeira exposição temporária do museu (fica em cartaz até 22 de outubro). “Os complexos desafios para as próximas décadas exigirão ideias originais que nos permitam acompanhar os inúmeros processos disruptivos que caracterizam nossa época. Inovar, criar novas formas e linhas de ação, tornou-se essencial”, ressalta Luiz Alberto, curador do Museu do Amanhã e da exposição, ao lado de Leonardo Menezes.

Desde ideias simples, como uma mochila-skate que ajuda a driblar o trânsito, até invenções mais robustas, a exemplo do satélite Amazônia-1, desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, os projetos trazem assinatura, em sua maioria, de inventores anônimos e que expõem pela primeira vez ao público. A associação ao “jeitinho brasileiro”, em “Inovanças”, é inevitável e muito oportuna, e comprova que a criatividade brasileira pode se materializar da forma mais planejada ou até mesmo de maneira fortuita. O importante mesmo é que seja sempre voltada para o futuro e o bem comum.

A mostra foi montada sem paredes e divide-se em sete áreas, confira abaixo cada uma delas:

1 – Pyahu-Açu (“novidade grande”, em tupi-guarani): Nesta área introdutória, o visitante se depara com vídeos que apresentam os conceitos-chave da exposição. Em telas, inovadores brasileiros falam de seus processos criativos e de seus inventos.

Pyahu-Açu (“novidade grande”, em tupi-guarani): Nesta área introdutória, o visitante se depara com vídeos que apresentam os conceitos-chave da exposição. Em telas, inovadores brasileiros falam de seus processos criativos e de seus inventos. (Raquel Cunha/CASACOR)

2 – Inspirais: A área apresenta criações que foram inspiradas na natureza. Compreender o balé dos pássaros, por exemplo, conduziu a experimentos que deram origem a modernas aeronaves. Nesta busca pela excelência, pesquisadores unem biologia, engenharia, design e arquitetura.

3 – Errâncias: Aqui, o processo de criação e seus desvios são valorizados. Tudo isso é importante para se chegar ao objetivo final. A vida “erra” aos montes: as mutações que dão origem ao ciclo de evolução das espécies são derivações do código genético de inúmeros antecessores.

Errâncias: Aqui, o processo de criação e seus desvios são valorizados. Tudo isso é importante para se chegar ao objetivo final. A vida “erra” aos montes: as mutações que dão origem ao ciclo de evolução das espécies são derivações do código genético de inúmeros antecessores. (Raquel Cunha/CASACOR)

4 – Brasilianxs: A área apresenta os principais inovadores do país, seus principais erros, acertos e criações. Os personagens e seus inventos estarão no interior de guarda-chuvas que ocuparão o teto deste corredor, ligando as áreas “Errâncias” e “Imprevisto”.

Brasilianxs: esta área apresenta os principais inovadores do país, seus principais erros, acertos e criações. (Raquel Cunha/CASACOR)

5 – Inexspectata: (O imprevisto, o inesperado “inexpectata”, em latim) A imprevisibilidade está intimamente ligada a inovações como a biomembrana, espécie de curativo feito de látex extraído de seringueiras brasileiras, um caso de “descoberta ao acaso” por aqui. Muito do papel da ciência e da inovação no Brasil hoje é responder às surpresas que surgem ao longo do caminho e fazer do imprevisto uma oportunidade.

6 – Impromptu (“improviso”, em latim): A arte do brasileiro em criar soluções é o foco desta área. Dentro de uma palafita, experiências representam como a busca pelo improviso pode revelar soluções inovadoras.

7 – Awani jö: A inovação não precisa ser um processo solitário. O fazer em conjunto (do iorubá, “awani jö”, ou “estamos juntos”) ressurge como plataforma para soluções mais ágeis, A área final da exposição mostra como a cooperação permite criar alternativas, formular ideias e reinventar processos e contextos socioculturais, locais de trabalho, serviços sociais, artes e linguagens.

Veja, abaixo, o vídeo criado pela instituição com depoimentos de alguns participantes:

Inovanças – Criações à Brasileira

Museu do Amanhã – Praça Mauá 1, Centro

Período: De 25 de abril a 22 de outubro

Funcionamento: De terça-feira a domingo, das 10h às 18h (com encerramento da bilheteria às 17h)

Ingressos: A exposição temporária está incluída no valor da entrada para o Museu:

Inteira: R$ 20 ; ​Meia-entrada: R$ 10;

www.museudoamanha.org.br

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s